Cirurgia Bariátrica

O centro do Aparelho Digestivo é composto por cirurgiões e anestesistas focados em oferecer as melhores técnicas cirúrgicas para cada patologia,reforçando ao paciente  a ideia de que não existe um cirurgia “mágica” que sirva para todos . Na área da cirurgia bariátrica o procedimento indicado é individualizado para cada paciente, de acordo com seu perfil alimentar, nutricional e físico.A equipe realizada somente técnicas cirúrgicas aprovadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e pelo Ministério da Saúde.Converse com um médico do Centro do Centro do Aparelho Digestivo.

Reconhecida como a forma mais freqüente de malnutrição no mundo desenvolvido, a obesidade passou em poucas décadas de condição desejável para uma das doenças mais letais dos dias atuais. Invejada nos séculos passados, a obesidade serviu de símbolo de beleza aos artistas, quando estes, em seus quadros, pintavam em cores o dito popular “sobre as curvas da riqueza e felicidade”, referindo-se a homens e mulheres de 40-50 anos que tivessem obtido generosas silhuetas, testemunho de sucesso e saúde.

A medicina evoluiu e a perspectiva de vida da população aumentou, expondo a limitação da sobrevida, assim como da sua qualidade, nos pacientes com sobrecarga de peso. A humanidade passa, assim, a conviver com um paradoxo: por um lado, milhões de pessoas morrendo devido à fome; por outro, um número progressivo sucumbindo devido às conseqüências do excesso de alimentação. Contribuindo com este contra-senso, bilhões de dólares são destinados em todo mundo para tratar as complicações da obesidade e tentar encontrar alguma solução para a mesma, em detrimento de recursos necessários àqueles que carecem de comida.

Considerações sobre os tipos de cirugia mais utilizados no tratamento da obesidade?

Para que tenhamos um emagecimento saudável e os melhores resultados, há a necessidade de individualizarmos o procedimento a ser realizado, escolhendo o melhor tipo de cirurgia bariátrica para cada paciente. Da mesma forma, a grande variedade comportamental dos pacientes obesos faz com que o seu perfil alimentar, nutricional e físico sejam levados em conta tanto no pré quanto no pós-operatório, reforçando a idéia de que não existe um cirurgia “mágica” que sirva para todos os pacientes. Por isso, estamos constantemente avaliando o perfil de cada paciente para saber qual o tratamento indicado para o seu caso específico.
Utilizamos diversas técnicas cirúrgicas aprovadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e pelo Ministério da Saúde conforme Portaria 492 onde algumas restringem a entrada dos alimentos no sistema digestivo outras impedem grande parte de sua absorção. Existem, ainda, as técnicas mistas que combinam os dois efeitos citados.

 

Qual a Causa?

Embora a causa seja multifatorial(incluindo fatores genéticos, stress, comportamentais, ambientais, ...) e controversa, a população atingida pela sobrecarga de peso é bem definida, encontrando-se a maioria dela na meia idade, em plena fase produtiva de suas vidas. Uma vez obesos, estes pacientes tem sua longevidade diminuída em função das doenças associadas ou agravadas pela obesidade, entre elas: hipertensão arterial, doenças coronarianas, embolia pulmonar, hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia, gota, apnéia do sono, trombose venosa em membros inferiores, amenorréia, infertilidade, diabete, aterosclerose, artrites e artroses, carcinomas(endométrio, mama, próstata, cólon, ...), depressão, discriminação social e empregatícia, ....

Com o número progressivo de obesidade severa em todo o mundo(20-35% da população total de adultos da América do Norte e diversos paises da Europa), esta passou a figurar entre as principais doenças de saúde pública, necessitando tratamento efetivo emergencial para esta mortal afecção. O dilema destes pacientes é que, a medida que engordam, suas chances de conseguirem retornar ao peso normal - ou próximo dele - diminuem, sendo que aqueles poucos que obtém sucesso, raramente conseguem manter baixo e estável seu peso.

 

O Tratamento

O tratamento clínico com uso de medicações associado à orientação nutricional e psiquiátrica, apesar de efetivo na obesidade leve e moderada, tem demonstrado até o momento resultados extremamente desanimadores na obesidade severa e mórbida. Para estas, a cirurgia tem obtido resultados expressivos, permitindo diminuições importantes do excesso de peso(pelo menos 80% deste), próximos do ideal. Desta maneira, o paciente obeso, outrora condenado em sua perspectiva de vida e discriminado pela sociedade, passa a ter de volta a sua longevidade, auto-estima, respeito, e sobretudo, saúde, eliminando ou amenizando as complicações da obesidade acima citadas. Entre as técnicas cirúrgicas recentemente desenvolvidas, encontram-se as restritivas e as disabsortivas que, combinadas ou não, podem ser realizadas através de cirurgia videolaparoscópica(através de micro incisões e câmera) ou de maneira convencional(através de corte com cirurgia tradicional). Todas estas, com características próprias quanto aos seus resultados.

 

Técnicas Utilizadas

A escolha de uma ou outra técnica deve ser individualizada, observando-se o perfil de cada paciente no que diz respeito à idade, quantidade de excesso de peso, complicações associadas, estilo de vida, .... Partindo do princípio de que o objetivo maior seja devolver perspectiva de vida, trazendo o paciente para um peso dentro do normal, de nada adianta haver redução apenas numérica de sua forma e peso, se, como resultado final da cirurgia, este continua com obesidade severa ou mórbida, ou seja, portador das complicações que acarretam a diminuição de sobrevida. Como exemplo, tomemos o paciente que deveria pesar 50Kg, pesava antes da cirurgia 150Kg, e, após a cirurgia, resultou com 100Kg, ou seja, mantendo-se em uma condição grave de obesidade mórbida, apesar da perda substancial de peso.

Assim, a indicação de apenas um tipo de cirurgia como solução para todas as formas de obesidade não possui nenhum respaldo científico. A premissa deve ser sempre o melhor resultado final, com o mínimo de riscos para o paciente. Desta maneira, cada paciente necessita de avaliação multidisciplinar isenta de interesses ou restrições técnicas, a fim de que a melhor cirurgia seja realizada para cada forma de obesidade, não permitindo apenas que simples quilos de gordura sejam perdidos, mas que vidas sejam salvas, devolvendo a estes pacientes a alegria de viver. 

CONSULTÓRIO

Centro de Cirurgia do Aparelho Digestivo