A vesícula biliar é um pequeno órgão oco responsável pelo armazenamento e concentração da bile, uma secreção digestiva produzida pelo fígado que auxilia na digestão. Localizada abaixo do lobo hepático direito, mede aproximadamente 8cm de comprimento e 4cm de diâmetro nos adultos, quando está repleta. 

Assista aqui.

Os abscessos hepáticos são um tipo de infecção organizada do fígado, que habitualmente provocam dor abdominal e febre, podendo ser acompanhados por coloração amarelada da pele e dos olhos (icterícia) e alterações da cor da urina e das fezes.  

Entidade relativamente grave, foco de interesse mundial, constitui um aumento da pressão na veia porta decorrente do aumento do fluxo sanguíneo e/ou um aumento da resistência vascular no sistema porta.

Os tumores que acometem o fígado, as vias biliares e o pâncreas são doenças complexas e de tratamento difícil, o qual deve ser realizado apenas em centros especializados. A cirurgia, com a retirada completa do tumor, dos gânglios ao seu redor e, algumas vezes, de órgãos adjacentes, é a única modalidade que traz chance de cura para o paciente. 

São processos inflamatórios e às vezes infecciosos do pâncreas. A maior incidência se dá nos pacientes com cálculos na vesícula que migram através dos ductos biliares até o pâncreas.

As estenoses ou estreitamentos das vias biliares podem ser decorrentes de diversos fatores, tais como infecções repetidas dos canais biliares, tumores que acometem os ductos biliares ou a vesícula biliar, traumatismos e, também, consequência da realização de procedimentos endoscópicos ou cirúrgicos sobre essa região.

CONSULTÓRIO

Centro de Cirurgia do Aparelho Digestivo