Obesidade causa mais casos de câncer do que o tabagismo, segundo pesquisa britânica

A obesidade já está desencadeando mais casos de câncer do que o fumo. É o que revelam os dados do estudo da Cancer Research UK: são 1.900 casos a mais de câncer de intestino e 1.400 de câncer de rim do que aqueles ocasionados pelo tabagismo. Problemas de peso estão, também, sendo responsáveis por mais de 460 ocorrências de câncer de ovário e 180 de câncer de fígado. A nova pesquisa apontou que os níveis recordes de obesidade entre as últimas gerações devem dobrar o número de cânceres associados ao peso, em um período de duas décadas, a menos que sejam tomadas medidas capazes de mudar a dieta da Grã-Bretanha. 

O que os números indicam?

A obesidade e o sobrepeso geram 22,8 mil novos casos de câncer por ano, enquanto o tabagismo está por trás de 54,3 mil. Porém, nos quatro tipos destacados da doença, o excesso de peso é o principal motivo. Dos 42 mil novos casos de câncer de intestino, a obesidade e o sobrepeso são a razão de 4.800, enquanto o fumo responde a 2.900. Nos rins, de um total de 12,9 mil, o sobrepeso causa 2.900, já o fumo, 1.600. No fígado, a obesidade é a causa de 1.300 dos 5.900 novos casos, enquanto o cigarro estava por trás de 1.200. Nos ovários, entre as 7.500 ocorrências, o excesso de peso atinge 490 pessoas por ano, enquanto o fumo afeta 25. 

Estima-se que, no Brasil, 15 mil casos de câncer por ano poderiam ser evitados com o combate à obesidade e ao excesso de peso. Segundo um estudo epidemiológico feito pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em colaboração com a Universidade de Harvard (Estados Unidos), esse número deve aumentar para 29 mil até 2025. Enquanto as taxas de tabagismo diminuem, as de obesidade crescem: hoje, cerca de um terço dos adultos do Reino Unido São Obesos, enquanto 15% são fumantes. Entre os brasileiros, conforme informações divulgadas pela Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), 9,3% indivíduos fumam, enquanto 18,9% são obesos.

De que forma o excesso de peso aumenta as chances de se ter algum tipo de câncer?

A ligação entre obesidade e câncer já está bem estabelecida, mas os mecanismos biológicos que explicam essa relação ainda não são completamente compreendidos. Sabe-se que as células de gordura produzem hormônios extras e substâncias químicas conhecidas como fatores de crescimento, que levam as células a se dividirem com frequência. Isso intensifica as chances de células cancerígenas serem produzidas. 

A Cancer Research UK está entre os mais de 40 grupos de saúde que exigem do governo da Grã-Bretanha a proibição de anúncios de junk food online e na TV antes das 21 horas, bem como ofertas de dois por um em alimentos e bebidas não saudáveis. A situação no Reino Unido é a mesma vivenciada em vários países, pois as doenças associadas à obesidade têm aumentado devido ao crescimento da população de obesos. Os resultados dessa pesquisa são um alerta para que o problema seja tratado com urgência. É preciso realizar uma campanha de conscientização sobre os graves malefícios da obesidade - existem consequências irreversíveis. Valorizar hábitos saudáveis e o acompanhamento médico são os primeiros passos para reverter esse quadro. 

CONSULTÓRIO

Centro de Cirurgia do Aparelho Digestivo