Cirurgia do Fígado

cirurgia do fígado

O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo. Além de filtrar o sangue, ele elimina toxinas e elementos danosos ao organismo advindos dos alimentos ingeridos. Por isso, a saúde entra em risco quando o órgão adoece, já que o processo de filtragem fica comprometido.

Uma vez confirmada a indicação de cirurgia do fígado, exames para avaliação pré-operatória são solicitados a fim de confirmação das condições cardiológicas e anestésicas. 

Os exames pré-operatórios serão individualizados de acordo com o biotipo do paciente e a presença de doenças associadas. Entretanto, alguns exames são realizados de rotina.

Uma vez indicada a cirurgia do fígado e o paciente decidido em proceder a mesma, algumas recomendações serão realizadas a fim de otimizar a internação e o preparo físico e psicológico pré-operatório.

As medicações em uso serão ajustadas conforme o resultado dos exames pré-operatórios.

Aos tabagistas é solicitado que deixem, ou diminuam ao máximo, o uso de tabaco a fim de diminuir as chances de complicações pulmonares no pós-operatório, assim como permitir uma melhor oxigenação dos tecidos e consequentemente melhor cicatrização.

Caminhadas diárias ou hidroginástica no pré-operatório são de grande ajuda como preparo fisioterápico pré-operatório, melhorando e facilitando a respiração e circulação no período pós-operatório.

A obsessão pela higiene das diversas dobras de pele e umbigo é recomendada, pois frequentemente estas são sítios de dermatites por fungos. Para tanto, a higiene destas áreas com sabonete neutro e manutenção das mesmas sempre bem secas já é o suficiente.

Independentemente da técnica realizada na cirurgia do fígado, o paciente deverá realizar pelo menos 8 horas de jejum absoluto (inclusive para água), realizando sua higiene pessoal através de um prolongado banho utilizando sabonete neutro.

A cirurgia é feita via laparoscópica, através de incisões mínimas.

Nestes momentos que precedem a cirurgia, é importante que os familiares e amigos presentes estejam tranquilos a fim de propiciar ao paciente sentimento de segurança e serenidade.

Terminada a cirurgia do fígado, o paciente será encaminhado para a sala de recuperação.

Uma vez no quarto, o paciente será estimulado a sair da cama e sentar na poltrona, iniciando os exercícios de fisioterapia respiratória e motora. A movimentação precoce dos pacientes além de prevenir complicações, aumenta o ânimo dos pacientes, estimula a recuperação, permitindo um pequeno período de internação hospitalar. 

O momento da alta do hospital será determinado pela equipe médica segundo a evolução de cada paciente. Antes da alta, a equipe médica e de nutricionistas conversará prolongadamente com cada paciente a fim de lhe instruir quanto ao tipo de dieta a ser seguida, medicações a serem utilizadas, precauções a tomar, assim como fornecer ao paciente, telefones de como achar a equipe médica a qualquer momento.

Ao chegar em casa, o planejamento das atividades diárias é importante a fim de prevenir deslocamentos e desconfortos desnecessários, pois, em função do estresse, que o paciente foi submetido pela cirurgia do fígado e internação hospitalar, ele poderá sentir-se fraco e facilmente cansado após qualquer atividade. As caminhadas devem ser realizadas em local que seja plano, seco, sem obstáculos que possam causar acidentes, permitindo que o paciente sinta-se bem sem ficar muito cansado.

Recomenda-se dieta branda durante os primeiros 07 dias, com ingesta a cada 2 horas de algum alimento, evitando-se a ingesta de grandes quantidades de alimentos de uma só vez, assim como alimentos do tipo café sem leite, chimarrão, refrigerantes, doces e bebidas alcoólicas.

Ressalta-se sempre a prudência de cortar os alimentos em pequenos pedaços, mastigando bem os mesmos. 

Doenças

Tumor de Fígado

O câncer pode ocorrer em qualquer órgão do aparelho digestivo, e é, na imensa maioria das vezes, de tratamento cirúrgico, que consiste na retirada do órgão no todo ou em parte, e na reconstrução ou substituição do órgão retirado para restabelecer a função perdida.

Alguns casos podem necessitar de tratamentos complementares com quimioterapia ou radioterapia.

Abscessos hepáticos

O câncer pode ocorrer em qualquer órgão do aparelho digestivo, e é, na imensa maioria das vezes, de tratamento cirúrgico, que consiste na retirada do órgão no todo ou em parte, e na reconstrução ou substituição do órgão retirado para restabelecer a função perdida.

Alguns casos podem necessitar de tratamentos complementares com quimioterapia ou radioterapia. Os abscessos hepáticos são um tipo de infecção organizada do fígado, que habitualmente provocam dor abdominal e febre, podendo ser acompanhados por coloração amarelada da pele e dos olhos (icterícia) e alterações da cor da urina e das fezes.

Podem ser causados por bactérias ou protozoários e são, de uma maneira geral, raros. O diagnóstico envolve a avaliação do médico, a realização de exames de imagem e laboratoriais.

Para o adequado tratamento é importante a avaliação do cirurgião, já que diversos casos necessitam de cirurgia para correção da causa (como a retirada de tumores). As punções com esvaziamento do abscesso, juntamente com o uso de medicações (antibióticos/antiparasitários) também fazem parte do tratamento, e são muito utilizados para controlar a infecção.

Hipertensão Portal

A Hipertensão portal pode ter várias causas. A causa mais comum em países ocidentais é cirrose do fígado.

No Brasil, as maiores incidências são atribuídas a cirrose (seja de origem alcoólica ou por hepatite) ou esquistossomose. Tratamento cirúrgico e muitos pacientes que estão em abstinência alcoólica por no mínimo 2 anos, por exemplo, podem até ser candidatos ao transplante de fígado.

Tumores do fígado

Os tumores que acometem o fígado, são doenças complexas e de tratamento difícil, o qual deve ser realizado apenas em centros especializados. A cirurgia, com a retirada completa do tumor, dos gânglios ao seu redor e, algumas vezes, de órgãos adjacentes, é a única modalidade que traz chance de cura para o paciente.(Há chance de cura)

O diagnóstico geralmente é feito em um paciente com icterícia (coloração amarelada da pele e dos olhos) que progride com o passar do tempo, associada a urina escura e fezes claras. Outros sintomas como dor abdominal, perda de peso, fraqueza e massas abdominais podem fazer parte do quadro. Com base na história do paciente e em seu exame físico, o cirurgião solicitará o exame mais adequado para firmar o diagnóstico e planejar a conduta.

Apenas serviços de referência em cirurgia do fígado estão aptos para fazer a avaliação adequada do paciente e realizar o seu tratamento. Atualmente, com o avanço das técnicas cirúrgicas e treinamento do cirurgião, muitos tumores outrora considerados irressecáveis podem ser completamente removidos, inclusive por modalidades minimamente invasivas (cirurgias por vídeo), trazendo melhor qualidade de vida, aumento da sobrevida e chance de cura para os pacientes.

Os cirurgiões do Centro de Cirurgia do Aparelho Digestivo – CAD.RS participam ativamente de congressos nacionais e internacionais da área, apresentando e publicando suas técnicas e resultados, assim como debatendo os mais recentes avanços no diagnóstico e tratamento do câncer de Fígado. O resultado disto, é a aplicação de tratamentos de vanguarda que beneficiam os pacientes através de melhores sobrevidas, maiores chances de cura, e menores riscos operatórios.

Agende uma avaliação e venha nos conhecer!